Comportamentos disfuncionais causados pela Raiva

Memória: Alguns motivos por que a perdemos e como melhorá-la.


Coisas que nós fazemos quando estamos com raiva normalmente são disfuncionais e podem ter consequências graves na nossa vida pessoal e profissional.

O que nós costumamos fazer quando ficamos com raiva?

Nada

Às vezes, nós evitamos lidar com o problema e acabamos não fazendo nada. Podemos ficar incomodados quando os outros tentam discutir a situação conosco. Normalmente os sentimentos de raiva ficam engarrafados dentro de nós e saem intensificados em outro momento, muitas vezes acompanhados por outros sentimentos como ressentimento ou culpa.

Bloquear para fora

Algumas pessoas colocam muito esforço para bloquear seus pensamentos e sentimentos de raiva. Frequentemente, para não pensar sobre a raiva e a causa dela, temos alguns comportamentos como estilos de vida mais atarefados, abuso de substâncias, e trabalhar longas horas. Tudo isso com a ideia de que isso vai fazer ela ser esquecida. Eventualmente, podemos ficar frustrados a ponto de pararmos de nos importarmos com o que acontece conosco e começamos a nos arriscar. Podemos causar injúrias em nós mesmos como tentativa de lidar com nossos sentimentos.

Amuado e Irritado

Quando as pessoas não conseguem o que elas querem, ou quando alguém não concorda com elas, frequentemente ficam amuadas ou se irritam. Elas podem recuar, ficar em silêncio e com ressentimento. Elas podem ficar na casa delas deprimidas, ou podem sair irritadas. Algumas pessoas podem se tornar cínicas e criticar tudo e todos, mas ainda não expressam a sua raiva abertamente. Não é incomum para essas pessoas se frustrarem com a sua inabilidade de expressar a raiva, que pode levar elas a ter um humor mais deprimido.

Agressividade

Algumas pessoas lidam com a raiva ficando agressivas. Elas podem se tornar verbalmente abusivas com xingamentos, gritos, berros e ameaças. Elas frequentemente usam palavras dramáticas e exageram o impacto que as ações dos outros têm neles. Elas podem também serem fisicamente agressivas – jogar ou chutar coisas ou atacar outras pessoas. É importante lembrar que a raiva gera raiva e faz as coisas ficarem piores. Sair da situação e permitir que as coisas se acalmem pode ser uma opção muito melhor.

Bebida e Drogas

Usar álcool para lidar com situações difíceis podem ter um efeito danoso em nossa vida. O álcool pode fazer com que você lide e controle menos seus comportamentos raivosos. Pode também ter um efeito negativo em seus sentimentos e pode levar para um humor baixo e ansiedade. Algumas pessoas acreditam que o álcool ajuda elas a dormir, mas na verdade, o álcool pode afetar a qualidade do sono deixando você grogue no dia seguinte. Beber demais e frequentemente pode levar ao vício.

Usar drogas para lidar com o estresse faz com que você enfrente menos com seus problemas e busque uma solução saudável. As drogas podem também afetar seu humor e sono. Podem causar danos em sua vida pessoal e saúde física. Elas são viciantes e depois que você se torna dependente pode ser muito difícil parar por conta de desejos, necessidades físicas e mentais. É importante saber que o álcool e as drogas podem aumentar os sintomas físicos da raiva fazendo com que você fique ainda mais raivoso.

imagem (145)

Usando um exemplo de como nossos comportamentos disfuncionais para lidar com a raiva podem nos prejudicar:

“Maria olha no facebook as fotos de seu pai e a nova família dele. Ela pensa que eles parecem felizes e que isso é um forte contraste da sua infância miserável. Ela lembra de como seu pai nunca foi assim com ela e a mãe dela. Ela se sente não amada e com raiva de pessoas que ela nem conhece. Ela se sente machucada e fica tensa. Pensa então que ‘eu não devo ter sido boa o suficiente’ e joga seu notebook no chão da sala. Uma amiga convida ela para um jantar, mas Maria prefere abrir uma garrafa de vinho e passa o resto de sua noite amuada no quarto. ”

  • Gatilho da raiva: Olhar fotos da nova família do pai.
  • Crença/Pensamento: ‘Eu não devo ter sido boa o suficiente’. ‘Ele nunca nos amou’.
  • Comportamento: Jogou o notebook no chão, ficou para baixo, amuada, recusou um convite da amiga e bebeu.
  • Reação do corpo: Raiva, machucada, tensa.
  • Consequências: Quebrou seu notebook, arruinou sua noite, perdeu o jantar, ficou com mal-estar depois de beber muito.

O comportamento dela não apenas fez ela ficar pior, mas também arruinou o resto da noite dela. Ela agora se arrepende de não ter aceito o convite de sua amiga e falado com ela a respeito do ocorrido.

E como mudar então esses comportamentos disfuncionais?

Primeiro passo: saiba o que é que você costuma fazer quando fica com raiva. Preencha um diário por uma semana (ou mais se necessário) para ficar mais ciente de seus comportamentos. Coloque o que causou a sua raiva (Gatilho), seus pensamentos e sentimentos sobre isso, o que você fez (Comportamento) e o que aconteceu depois de seu comportamento.

  • Depois disso reflita sobre cada um de seus comportamentos se perguntando:
  • O que de seus comportamentos não foi produtivo, inútil?
  • O seu comportamento manteve sua raiva?
  • O comportamento piorou sua raiva?
  • Quais as consequências de seu comportamento?

Segundo passo: Pense em todas as outras maneiras mais saudáveis que você poderia ter respondido a uma das situações anotadas. Como você gostaria de se comportar da próxima vez que você se encontrar em uma situação similar? Faça uma lista de comportamentos alternativos possíveis e escolha a melhor opção para o futuro.

Utilizando o exemplo anterior Maria poderia:

  • Ter reconhecido seus sintomas físicos e emoção e refletir sobre o impacto deles em seu comportamento.
  • Ter feito algo agradável como sair para caminhar.
  • Ter praticado controle da respiração e relaxamento muscular.
  • Ter tentado pensar sobre a situação de uma maneira diferente.
  • Ter ido ver sua amiga e conversar sobre como ela se sente.
  • Ter conversado com seu pai sobre a sua infância.

Terceiro passo: Coloque em prática. Não é fácil adotar um comportamento novo, por isso pratique sempre que possível. Se um dia você voltar para seus hábitos antigos não se julgue, isso pode acontecer. Apenas respire fundo e lembre-se que já conseguiu superar seus comportamentos disfuncionais uma vez e que é só repetir novamente as dicas para isso.

Bom pessoal, terminamos aqui essa postagem sobre os comportamentos disfuncionais causados pela raiva. Espero que esta postagem possa te ajudar e até a próxima.

Traduzido e adaptado do booklet “Having problems with your temper?”


Gostou deste post? Sinta-se a vontade para comentar e compartilhar nas suas redes sociais.

Não esqueça de conferir nosso canal do Youtube para ver nossos vídeos sobre saúde mental e relacionamentos.

youtube.com/c/falcoriccivideos

Até a próxima! ,)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s